Mistérios da pronúncia em francês: fonemas desafiadores!

Quando pensamos na pronúncia em francês, precisamos levar em conta alguns fatores importantes para que se tenha uma comunicação realmente efetiva.

Essa é uma língua com influências do latim e do frâncico (povo germânico), o que resultou na sua possível complexidade, mas, também, em toda a beleza de sua estrutura.

Na língua francesa não se fala como se escreve, o que é um grande influenciador na hora de aprender o idioma. Por isso, entender algumas diferenças em relação ao português é um grande passo e vai facilitar a vida de quem precisa estar afinado(a) na na hora de começar uma conversa em francês.

Alguns fonemas não existem no português, enquanto outros são comuns aos dois idiomas. Então, é preciso treino e persistência para aprender a usá-los com o máximo de naturalidade e evitar erros na hora de usar a língua.

Pronúncias iguais e grafias diferentes

No francês, pode acontecer de se ter duas palavras muito parecidas com significado diferente. Assim acontece, por exemplo, com a letra ‘e’, que é acrescentada para marcar o feminino nas palavras, como em né (nascido) e née (nascida), onde a única diferença é a vogal ‘e’ na escrita, pois a pronúncia se mantém a mesma.

Também acontecem casos de palavras muito diferentes na escrita e que, na hora de falar, possuem a mesma pronúncia, como no caso de maire (prefeito) e mer (mar). Isso acontece porque, na palavra ‘maire’, o som de ‘ai’ – em francês – é o som de ‘é’ e, nesse caso, o ‘e’ no fim da palavra não é pronunciado.

Os diferentes tipos de vogais na pronúncia em francês

As vogais podem aparecer de diferentes maneiras, acentuadas ou não e combinadas, além de anasaladas. Possuem suas especificidades, principalmente, na hora de serem pronunciadas.

As vogais não acentuadas são pronunciadas conforme a lista a seguir:

a: ;

e: , quando acompanhado de consoantes como -er ou -et, elas não são pronunciadas alongando a pronúncia do ‘e’;

i e y: , no francês o ‘y’ é uma vogal com som de ‘i’;

o: ;

u: , no ‘u’ é usado o famoso biquinho, fazendo um som como se fosse um ‘ü’.

Os acentos aparecem mais comumente na letra ‘e’:

é: possui o mesmo som do ‘e’ no português;

è: esse fonema é tratado como o ‘é’ (com acento agudo) do português;

ê: diferente do português, o acento circunflexo representa a abertura do som.

As combinações de vogais vão representar sons diferentes em relação a sua escrita:

ai: som de ‘e’;

au/eau: som de ‘o’;

eu/œu: som de ‘ü’;

oi: som de ‘oa’;

ou: som de ‘u’;

ui/oui: som de ‘ui’.

As vogais anasaladas são um pouco mais complicadas:

Sempre que uma vogal aparece antes do ‘n’ ou do ‘m’, a pronúncia deve ser feita com o som saindo ao mesmo tempo pela boca e pelo nariz, como se intensificássemos o til na hora de falarmos palavras acentuadas no português.

As consoantes mudas ou duplicadas nas palavras em francês

Quase todas as consoantes possuem a mesma pronúncia do português. A diferença está nas consoantes mudas no fim de palavras que, na maioria das vezes, não são pronunciadas. Além disso, podem ser percebidas em:

c: som de ‘k’ e ce/ca: som de se/sa;

g: pode aparecer como , por exemplo no segundo ‘g’ de garage;

gn: um som parecido com ‘nie’;

h: não tem som (muda);

j: tem o mesmo som do segundo ‘g’ de garage;

r: o famoso ‘r’ francês, que é chamado de gutural.

A pronúncia em francês pode parecer um pouco complicada. Porém, com um treinamento adequado e o uso frequente – falando e ouvindo –é possível melhorar cada vez mais a articulação de palavras que possuem esses fonemas não muito comuns para nós, falantes do português.

Uma maneira de impulsionar o aprendizado do francês são cursos que se preocupam com o seu objetivo com a língua. Quando você busca por profissionais que se interessam em saber suas finalidades de aprender francês e ensinam a partir delas, as chances de conquistar os espaços almejados na sua carreira só tendem a crescer.

Quer saber mais sobre a língua francesa? Conheça alguns erros comuns que brasileiros cometem na pronúncia em francês!

FO_CTA_eBook08_GuiaConversacao

0 respostas

Deixe uma resposta

Quer entrar na discussão?
Sinta-se livre para contribuir!

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.