Por que a língua francesa é tida como a mais romântica?

Você certamente sabe que reconhecemos a língua francesa como a língua mais romântica do mundo, não é mesmo? Nesse post iremos esclarecer como isso tudo começou.

No sentido literal as chamadas línguas românicas, ou línguas neolatinas ou línguas latinas são idiomas que integram o abrangente grupo das línguas indo-europeias.

As línguas românicas

Esses idiomas tem sua origem na evolução do latim, principalmente do latim vulgar, falado pelas classes mais populares.

O português, o espanhol – castelhano, o italiano, o francês e o romeno são os representantes atuais mais falados no mundo dessas línguas românicas.

Há, também, outros idiomas usados por grupos minoritários de falantes, como: Valenciano na Espanha, o Mirandês em Portugal, o Siciliano na Itália, os Valão e Picardo na França e Bélgica e o Romanche na Suíça.

Tradição histórica

Historicamente Paris é a maior responsável por esse entendimento da língua francesa como romântica, principalmente devido ao fato de durante o século XVIII, o romantismo influenciou a arte e a cultura da capital francesa.

O movimento artístico, político e filosófico foi seguido pela popularização de escritores e poetas que voltaram a dedicar obras ao amor. Este espírito manteve-se durante longos anos e ganhou expressão com, por exemplo, Baudelaire, Trenet e Brassens – que criaram verdadeiras Odes ao Amor.

A influência do romantismo dominou a atmosfera da cidade – totalmente avessa ao racionalismo da época da Revolução Francesa – o movimento do século XVIII era impulsionado pelos sentimentos, vendo a beleza como algo quase divino. Os escritores e pintores valorizavam sobretudo as emoções e as sensações.

Obviamente o romantismo não é a única explicação para Paris ser mundialmente conhecida como a cidade do amor.. As luzes da cidade, os vários monumentos, restaurantes e jardins sugerem todo um encantamento e deslumbre.

Clássicos do cinema como “O Fabuloso Destino de Amélie”, “Paris, Je t’aime”, “Dois Dias em Paris” ou “Um Americano em Paris” também ajudaram a corroborar a ideia de que se respira o amor nas ruas de Paris.

Porém, mais que todas as influências, a ideia do romantismo da cidade, do país e principalmente da língua é uma construção social que vem sendo nutrida ao longo de décadas.

Não é a toa que sobre o rio Sena, existe uma ponte chamada Ponte do Amor. Na qual em toda a extensão da grade é coberta por cadeados, sim cadeados. Diz a tradição que os casais que colocarem o cadeado ali, fechado, e jogarem a chave no rio Sena permanecem unidos para sempre.

E não satisfeitos há também a parede do amor, em Montmartre. Uma parede com a expressão “Amo-te”, escrita em diversas línguas. Tem pedaços vermelhos pelo meio que representam corações partidos que a parede pretende ajudar a reparar.

Essa parede foi ideia de Frédéric Baron, autor francês, que parava turistas na rua para lhes perguntar como se dizia “Je t’aime” na sua língua nativa. É um ótimo lugar para uma reconciliação ou confirmação de um amor!

Estrutura & Fonética

Foneticamente, a língua francesa, com predominância de vogais, inclusive nasais, e poucos encontros consonantais, tende a ser mais agradável aos ouvidos e por isso é considerada mais bela.

Além disso, a entonação e a velocidade da fala também influem: línguas cuja a fala é mais lenta e compassada transmite calma, credibilidade e até mesmo sensualidade.

Essa harmonia fonética associada aos componentes históricos e estruturais fazem do Francês o idioma mais apaixonante e, simultaneamente, sedutor.

Já pensou em fazer parte desse universo cheio de amor? Falar francês pode ser mais uma arma de sedução. 😉

0 respostas

Deixe uma resposta

Quer entrar na discussão?
Sinta-se livre para contribuir!

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.