7 dicas para aprender francês mais rápido

Língua do amor, da diplomacia, da revolução…o francês é o idioma oficial em 32 países, além da ONU e outras organizações internacionais.

A língua francesa é também um dos idiomas mais relevantes na cultura e no conhecimento acadêmico produzidos no Ocidente. Grandes filósofos, artistas e escritores, como Sartre e Simone de Beauvoir, escreviam e se expressavam neste idioma. Não à toa, uma pesquisa conduzida pelo Duolingo em 2016 constatou que o francês é a segunda língua mais procurada por quem deseja aprender um novo idioma.

Graças a essa importância, diversas oportunidades profissionais e acadêmicas aguardam quem domina o idioma. Pensando nisso, no post de hoje vamos compartilhar dicas para quem deseja acelerar o aprendizado do francês. Confira:

1. Saiba de que forma você aprende melhor

Todo mundo tem um estilo de aprendizado que se adéqua melhor ao seu perfil. Há quem seja ótimo em escutar e decorar letras de música em minutos; outros são mais visuais e conseguem se lembrar de imagens com exatidão; além de quem aprende melhor com o movimento, que costuma ser o caso de quem gosta de esportes, dança ou teatro.

Se você conseguir entender de que forma o seu cérebro aprende mais rápido, vai poder usar essa informação na hora dos estudos para acelerar seu desempenho no francês. Este teste on-line pode te ajudar a descobrir!

2. Treine a pronúncia na frente do espelho

Uma das coisas mais temidas por quem estuda francês é a pronúncia. Como e quando fazer o tal biquinho para falar? Felizmente, é fácil resolver a questão se você treinar a pronúncia na frente do espelho. Assim, vai saber como movimentar os lábios para cada som. No “i”, como em pli (dobra), por exemplo, a boca precisa estar bem esticada horizontalmente, quase sorrindo, enquanto no “u”, como em plus (mais), já é hora de fazer o bico com tudo. Assista a vídeos em francês e observe o movimento dos lábios das pessoas, isso com certeza vai te ajudar.

Você pode unir o treino na frente do espelho a um exercício muito útil para ganhar ritmo de fala e entonação, identificar e corrigir possíveis erros de pronúncia. Encontre um áudio gravado por um falante nativo (pode ser uma reportagem, um podcast, um poema) com a descrição também em francês. O exercício consiste em tocar o áudio e ler a descrição no mesmo tempo e ritmo que o locutor da gravação. Assim, você estará treinando todos os aspectos que compõem a fluência na fala.

3. Mantenha contato com a língua o tempo todo

Outra coisa que pode acelerar seu aprendizado é assistir a filmes, séries ou notícias em francês sempre que puder. Se você tiver um estilo de aprendizado mais auditivo (fez o teste no primeiro tópico?), talvez prefira escutar a uma rádio francófona, e se o seu jeito de aprender for cinético, pode escutar a algum programa ou audiolivro em francês enquanto se exercita, por exemplo. O importante é estar em contato com a língua!

Se você já tem um objetivo pelo o qual está aprendendo francês (falaremos mais sobre isso abaixo), você pode otimizar ainda mais essa dica, escolhendo textos, livros e podcasts que tenham a ver com o seu objetivo de aprendizado. Por exemplo: se você pretende fazer um intercâmbio acadêmico de graduação, pode começar a ler artigos científicos sobre a sua área. Isso é fundamental porque vai te dar acesso aos vocabulários específicos de cada situação, e ter o vocabulário adequado é uma peça fundamental da fluência em qualquer idioma.

4. Tenha um objetivo para aprender francês

Quem está aprendendo francês para fazer uma viagem turística dificilmente vai precisar saber como se apresentar em uma situação de negócios, concorda? Da mesma forma, se você está indo estudar em um país francófono, precisará saber algumas coisas bem específicas quando chegar, talvez para alugar um apartamento ou descobrir quais serão os seus horários de aula.

Focar seus estudos nesse objetivo, então, pode te fazer aprender francês bem mais rápido, afinal, nem sempre o que você precisa mesmo saber requer anos de estudos!

Saber o seu objetivo é fundamental para que você escolha o método de ensino adequado para as suas necessidades. Você precisa ser fluente? Ser aprovado em um exame de admissão? Precisa ser fluente na fala, na escrita ou em ambos? Essa decisão também é importante para que você escolha o curso certo. Aulas particulares? Curso regular? Curso intensivo? Workshops de idiomas?

No mesmo sentido, o seu objetivo deve guiar a escolha do material certo para o seu estudo, seja ele um livro de gramática ou as leituras e os vídeos que te auxiliarão no aprendizado. Lembre-se sempre que cada pessoa tem um objetivo diferente, e que cabe a você moldar o seu aprendizado às suas necessidades.

5. Faça muitos exercícios de conjugação verbal

Outra questão que deixa os alunos de francês de cabelos em pé é a conjugação verbal. Sim, esse idioma tem um bocado de verbos irregulares, mas tem um jeito bem mecânico de conseguir gravar tudo no seu cérebro bem rápido: fazendo exercícios.

Sempre que tiver um tempinho — dependendo, pode até ser no ônibus, na sala de espera do médico ou no intervalo do seu programa preferido na TV —, faça uma bateria de atividades de conjugação verbal. A prática vai te ajudar a assimilar a teoria sem que você nem perceba.

Mas atenção: não caia na tentação de fazer apenas exercícios “fáceis” e “óbvios”. Desafie-se sempre. Você pode, por exemplo, exercitar a conjugação verbal em uma redação — este é um exercício bem próximo da realidade que você encontrará no trabalho ou em outro país e ainda é útil para aprender e memorizar estruturas e vocabulários.

6. Não tenha medo de fazer associações com o português

O engenheiro Beny Lewis, autor do livro Fluent in Three Months, é fluente em 7 idiomas e domina outros 4. Em seu livro, ele sugere que os estudantes que estão começando a aprender um novo idioma utilizem associações entre sua língua nativa e o idioma novo. O engenheiro conta que chegou a essa conclusão porque tinha muita dificuldade em lembrar a palavra certa para “mesa” em alemão (“tisch”), mas, ao conseguir relacioná-la com a palavra “tissue” (“guardanapos”, em inglês), conseguiu memorizá-la.

É claro que não é para você sair confundindo os faux amis (ou falsos cognatos), mas depois que tiver dominado essas palavrinhas que se parecem no francês e no português apesar de terem significados totalmente diferentes, vale usar o seu conhecimento de uma língua para entender a outra.

Não é por acaso que o francês se parece com o português: as duas se originaram do latim e, por isso, têm muito comum, principalmente em formas gramaticais. Compare os dois sempre que sentir necessidade e esclareça diferenças e semelhanças com o seu professor: isso pode resolver aquele nó que estava te impedindo de continuar!

7. Aplique o seu conhecimento em situações reais

Esta dica costuma ser unânime entre professores, especialistas e autodidatas: aplicar a teoria na prática sempre que possível. Não há método mais eficiente do que este. Procure usar o que você aprendeu em situações do cotidiano: escreva cartas, e-mails e redações, mesmo que fictícios; pratique a fala com colegas ou amigos que também estão aprendendo o francês em situações reais do dia a dia. Vocês podem, por exemplo agendar um almoço e durante este período vocês só poderão falar francês.

Colocar seus conhecimentos à prova vai te dar confiança e te fazer ver em que ponto precisa melhorar. Você pode usar a internet para frequentar chats e fóruns que têm o francês como idioma oficial e conversar com nativos. Assim, você estará preparado para todas as situações que encontrará no trabalho, na vida real ou em um intercâmbio.

E você, o que faz para aprender francês mais rápido? Conte para a gente nos comentários e à tout à l’heure!

 

FO_CTA_eBook08_GuiaConversacao

0 respostas

Deixe uma resposta

Quer entrar na discussão?
Sinta-se livre para contribuir!

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.